29 de mai de 2015

amor é tudo.

Quando a chuva cai e destrói meus castelos de areia.
Quando o vento sopra e leva pra longe sonhos esquecidos.
Quando a tempestade vai e deixa apenas o caos.
É então que eu entendo: o Amor é tudo o que eu tenho.

25 de nov de 2013

MEIO

Meio mundo. Meio mudo. Meio silêncio.
Meia voz. Meio algoz. Metade de mim.

Meio a meio. Bem e Mal. Tal e Qual.
Perfeito e Incompleto. Você e eu.

E assim nossa vida se constrói: apagando sonhos, costurando retalho, pintando quadros cinzas em dias coloridos.
Não nos completamos por sermos MEIO; não nos encaixamos por sermos METADE.

O Amor não completa o que falta: Ele faz tudo novo de novo do nada.

19 de jun de 2013

Era uma vez

Era uma vez, em um tempo não tão distante, uma família interessante.
Mãe e filhos vivam em uma casa simples, porém grande.
Os filhos sofridos trabalhavam noite e dia,
Sofrendo e cansados, mas com imensa alegria.
A mãe por sua vez dizia-se rica.
Explorava seus filhos, maltratava suas cria.
Negava-lhes Saúde, Assistência e Educação.
A eles dava apenas migalhas e achava que estava bom!
Certo dia a história mudou.
De tanto serem maltratados, os filhos se revoltaram!
Pegaram cartolina, canetinhas e lápis de cor.
Escreveram frases que expressavam sua dor.
Foram unidos para o quintal de sua casa.
Abriram as janelas, suas mentes, suas asas.
Fizeram barulho, e os seus vizinhos ouviram.
Na agitação, alguns pisaram na grama,
Arrancaram algumas flores do chão.
Porém não eram todos, era uma exceção.
Juntaram-se com sintonia, sem baderna, sem selvageria.
Mas a revolução não era contra a mãe, como todos pensavam.
Eles queriam apenas atenção, mudar o que tanto os incomodava.
Amavam sua mãe e queria que Ela abrisse o olho.
Diziam: “- Estamos com você todos os dias, não apenas em dia de jogo!”
O final da história não foi contado ainda por quem presenciou aquele dia.
Dizem que a mãe continuou firme, irredutível, implacável.
Outros dizem que ela não agüentou a tanta pressão, teve um colapso.
Mas o certo é que aquela casa nunca mais foi a mesmA.
Aqueles filhos nunca mais foram os mesmos.
E a mãe, apesar de confrontada, estava orgulhosa e pôde reconhecer:

“UM FILHO MEU REALMENTE NÃO FOGE DA LUTA!”

20 de abr de 2013

chuva.

Zé chorou quando a chuva caiu no chão.
De pé, com fé, sofrendo, alegre então.
Tudo era esperança, ou dança de criança, 
de um povo inteiro, lá no terreiro.

2 de abr de 2013

A história do Amor em três meses.

Você apareceu para mim como um desenho, uma imagem, uma foto. Apaixonei-me assim que te vi. Você pode achar isso loucura, mas quem disse que a paixão é racional? O amor sim, é razão. A paixão nos faz querer o outro a todo o momento; o amor nos faz querer o outro nos momentos de crise. A paixão não vê erros; o amor perdoa. A paixão vai da forma como veio; o amor fica quando tudo mais se vai. E assim você foi.
Não estou sendo forte, não estou sorrindo pra esconder minhas lágrimas, e nem estou tentando esquecer. Tenho chorando sempre que me lembro de nossos momentos, sempre que no peito o coração dói; choro quando escuto nossa música.
Os cacos que sobram de mim ainda estão no chão. Não tenho pressa de reconstruir-me, e talvez nem queira. Provavelmente quando toda essa tempestade passar serei a mesma pessoa com um olhar diferente, vendo você como a coisa mais bela e sincera que aconteceu na minha vida, e que como a própria vida, me ensinou mais do que você possa imaginar.
Não sei se te amarei pra sempre, mas sempre que me perguntarem se já amei na vida, abrirei um largo sorriso, darei um suspiro profundo, e responderei com uma lágrima no olhar: “-Sim, amei profundamente e intensamente por três meses”.

23 de out de 2012

Devaneio


Devaneio louco, que joga pra longe minha sanidade e austeridade; que me aprisiona e me liberta em igual proporção. Devaneio louco, que me esconde por inteiro e revela-me aos poucos; que mata, maltrata, fere e cura alma e coração. Devaneio louco que me faz tão bem, tão caos, tão tal, tão eu!

25 de set de 2012

LoveSong

Sentado na mesa do bar tomando mais uma dose. Engolindo em seco minha dor. Chorando acontecimentos passados e sentimentos presentes. Vendo a vida passar e a ferida latejando.

Pessoas vêm e vão, repetindo apenas mais um dia da rotina. Pintando novos quadros com as mesmas cores velhas. Vivendo tudo novamente.

E eu permanecerei aqui no único canto em que minha dor não é a única coisa que eu sinto. E eu ficarei aqui firme enquanto puder. Te esperarei apenas até a última dose acabar, até o último cliente sair, até tocarem a canção do nosso amor.


__________________________________________________________
Texto inspirado na música
LoveSong da Adele

8 de ago de 2012

Para ela!

Certo dia olhei em teus olhos e achei o que minha alma tanto buscava. Beijei sua boca e percebi que nada do que eu havia experimentado antes se comparava ao sabor dos teus lábios. As batidas do seu coração dançavam compassadamente com o pulsar alucinado do meu.

E então te amei. Sem saber ao certo se era a forma certa, me entreguei pouco a pouco a você. A cada dia. A cada hora. Certo do que sentia, duvidei e teve medo. Receoso, você me amou mesmo assim. "-Não importa o tempo que dure, vou te esperar!", você me disse. Mas não quis esperar. Quis você.

De mãos dadas temos caminhado. Passo a passo. Um de cada vez. Temos aprendido com lágrimas que a vida a dois não é fácil, e que é muito difícil fazer a tão misteriosa mágica de transformar dois corpos em um só. Que opiniões contrárias nem sempre são fáceis de serem acertadas. E que temos que expor nosso pior para podermos encontrar o que há de melhor em nosso interior.  No entanto, o Amor torna tudo mais leve e suave. O Amor nos mostra que a vida não coloca as pessoas ao nosso lado por acaso, e que sem você, ela não teria mais sentido.

Tenho te amado a cada novo dia, e sempre que anoitece agradeço a Deus por ter cruzados nossos caminhos de forma tão linda.

A você que é minha vida, todo o meu amor e respeito!
Te amo, Wanessa Maraysa.

12 de jul de 2012

[des]feito

Tudo fora de mim.
Nada dentro de mim.

E sou feito assim:
desilusões e sonhos perdidos mil;
esperança e um céu azul anil.

Construído de pedaços,
desfeito por completo.
Perdido pelo caminho,
mas com destino certo.

E vou indo seguindo prosseguindo.
Continuando aqui.

Nada fora de mim.
Tudo dentro de mim.

24 de jun de 2012

Teatro

A vida se desfaz,
desvia-se,
e vai.
Seguindo ao léu
o destino que escolheu.

Somos meros coadjuvantes
nesse espetáculo inebriante.
Que desenrola-se em perfeito improviso
ensaiando apenas lágrimas e sorrisos.

E então, sentimos soprar os ventos de mudança
e cremos que dias melhores virão.
Mergulhando de cabeça nessa dança
Ritmada pelo som do coração.