2 de abr de 2013

A história do Amor em três meses.

Você apareceu para mim como um desenho, uma imagem, uma foto. Apaixonei-me assim que te vi. Você pode achar isso loucura, mas quem disse que a paixão é racional? O amor sim, é razão. A paixão nos faz querer o outro a todo o momento; o amor nos faz querer o outro nos momentos de crise. A paixão não vê erros; o amor perdoa. A paixão vai da forma como veio; o amor fica quando tudo mais se vai. E assim você foi.
Não estou sendo forte, não estou sorrindo pra esconder minhas lágrimas, e nem estou tentando esquecer. Tenho chorando sempre que me lembro de nossos momentos, sempre que no peito o coração dói; choro quando escuto nossa música.
Os cacos que sobram de mim ainda estão no chão. Não tenho pressa de reconstruir-me, e talvez nem queira. Provavelmente quando toda essa tempestade passar serei a mesma pessoa com um olhar diferente, vendo você como a coisa mais bela e sincera que aconteceu na minha vida, e que como a própria vida, me ensinou mais do que você possa imaginar.
Não sei se te amarei pra sempre, mas sempre que me perguntarem se já amei na vida, abrirei um largo sorriso, darei um suspiro profundo, e responderei com uma lágrima no olhar: “-Sim, amei profundamente e intensamente por três meses”.

Um comentário:

Vanessa Martins disse...

"Mas quem disse que a paixão é racional?"
Eis a questão!