27 de ago de 2008

Um Coisa que precisamos aprender.

Hoje vou postar um texto que li no site do "Geração DT" e que veio de encontro as necessidades do meu coração. Espero que ao ler o texto, Deus renove na tua vida a Sua unção.

Conquiste, Avance, Determine suas bençãos!
Escrito durante o 9º Congresso Internacional de Louvor e Adoração Diante do Trono

Sábado de Aleluia, noite, enqüanto o Pr. André Valadão lança o seu novo CD numa arena a poucos metros daqui, o meu coração permanece em inquietação. Confesso: não consegui ficar no lançamento do CD, o Espírito Santo de Deus me incomodou para vir até uma mesa da Praça de Alimentação para aprender aqui a maior lição que Ele quer me dar nesses dias de 9º Congresso. Abra o seu coração, pois o Senhor quer mudar hoje convicções e conceitos estabelecidos no seu coração.

"No dia seguinte, indo eles de caminho e estando já perto da cidade, subiu Pedro ao eirado, por volta da hora sexta, a fim de orar. Estando com fome, quis comer; mas, enquanto lhe preparavam a comida, sobreveio-lhe um êxtase; então, viu o céu aberto e descendo um objeto como se fosse um grande lençol, o qual era baixado à terra pelas quatro pontas, contendo toda sorte de quadrúpedes, répteis da terra e aves do céu. E ouviu-se uma voz que se dirigia a ele: Levanta-te, Pedro! Mata e come. Mas Pedro replicou: De modo nenhum, Senhor! Porque jamais comi coisa alguma comum e imunda. Segunda vez, a voz lhe falou: Ao que Deus purificou não consideres comum. Sucedeu isto por três vezes, e, logo, aquele objeto foi recolhido ao céu. Enquanto Pedro estava perplexo sobre qual seria o significado da visão, eis que os homens enviados da parte de Cornélio, tendo perguntado pela casa de Simão, pararam junto à porta; e, chamando, indagavam se estava ali hospedado Simão, por sobrenome Pedro.

Enquanto meditava Pedro acerca da visão, disse-lhe o Espírito: Estão aí dois homens que te procuram; levanta-te, pois, desce e vai com eles, nada duvidando; porque eu os enviei. E, descendo Pedro para junto dos homens, disse: Aqui me tendes; sou eu a quem buscais? A que viestes? Então, disseram: O centurião Cornélio, homem reto e temente a Deus e tendo bom testemunho de toda a nação judaica, foi instruído por um santo anjo para chamar-te a sua casa e ouvir as tuas palavras. Pedro, pois, convidando-os a entrar, hospedou-os. No dia seguinte, levantou-se e partiu com eles; também alguns irmãos dos que habitavam em Jope foram em sua companhia." (Atos 10:9-23)

Essa é a história de como Pedro foi convencido pelo Senhor de que o evangelho deveria chegar até os gentios, que missionários deveriam ser enviados por toda a terra, e que homens e mulheres de todas as nações poderiam converter-se sem realizar a circuncisão e sem aderirem ao judaísmo.

O relato conta que Pedro, com fome, subiu ao terraço da casa para orar enquanto preparavam-lhe comida. Foi exatamente sobre comida que Pedro teve uma visão: répteis, animais quadrúpedes, porcos, e toda a sorte de animais considerados imundos desceram do céu em um lençol, e a voz de Deus dizia "Coma Pedro! Coma Pedro!"

Talvez você não tenha dimensão do que isso significava para Pedro, um judeu praticante. O livro "Maravilhosa Graça", de Phillip Yancey, trás uma metáfora instigante sobre esse assunto. Em termos comparativos, é como se no meio do Congresso que estamos vivendo nesses dias, um lençol descesse no meio da multidão carregado de cerveja, aguardente, licores, e uma voz vinda dos céus dissesse "Bebam! Bebam!". Certamente a nossa resposta seria parecida com a de Pedro: "Não Senhor! Nós somos crentes!"

O Senhor respondeu: "Pedro, não tenha como impuro aquilo que o Senhor purificou". Minutos depois, descendo daquele terraço aonde havia orado, Pedro se deparou com três gentios sedentos por Jesus. Não era lícito um Judeu associar-se a um "incrédulo", mas aquela visão de alimentos que Pedro havia tido estava muito clara: o que antes era considerado "imundo" foi purifcado pelo toque do sangue de Jesus.

Essa cena de Pedro orando no terraço me fala profundamente. Pedro foi orar faminto, precisando de alimento físico, desejando comida, e no entanto o Senhor mostrou-lhe que ele deveria aceitar gentios na comunidade Cristã.

RESPOSTAS CONTROVERSAS DE ORAÇÃO
Essa não foi a única ocasião na Bíblia em que uma resposta de oração demonstrou-se diferente, ou até mesmo contrária à súplica realizada. Ana orou por um filho até descobrir que não precisava de um. Davi orou pra que seu filho, fruto de um adultério, permanecesse vivo, mas Deus não o atendeu. Jesus orou para que fosse livre da morte, mas o que recebeu foi um anjo confortando-lhe. Paulo que orava para se ver livre de uma doença, recebeu apenas graça divina pra enfrentar a dor.

Talvez você já tenha ouvido muitas pregações que dizem "Peça, e Deus te dará", "Faça seu pedido, e Deus te dará", "ore pelo carro e seja fiel, Deus recompensará sua fé", "clame porque esse ano ainda você verá liberações de Deus na sua casa". Esses discursos são realmente atraentes, mas não explicam bem porque muitas das nossas orações têm respostas tão controversas. Pior que isso: essas pregações não respondem porque Davi orou pela cura de seu filho e a criança morreu, porque Paulo queria cura e Deus não curou, porque Deus fez silêncio para gerações de Hebreus cativos que clamavam por misericórdia.

A oração não funciona da maneira como imaginamos ou até pregamos que ela deveria ser: oramos a nossa vontade, aquilo que está no nosso coração, porém Deus não nos dá garantias de que receberemos tudo quanto pedirmos, ele garante que receberemos tudo que pedirmos de acordo com a sua vontade. É exatamente por isso que as respostas às nossas orações muitas vezes parecem incompreensíveis: oramos por uma necessidade que está no nosso coração, mas Deus, por nos amar, nos responde de acordo com o melhor e mais propício que Ele tem pra nós.

Eu escrevo isso porque estou em um processo de transição na minha vida, e durante meses seguidos eu orei fervorosamente para que Deus me desse um emprego novo, um trabalho mais bem remunerado pra que eu pudesse colocar em prática certos projetos: morar numa República, ir ao Nordeste nas férias, assumir novos compromissos. O tempo foi passando, Deus permaneceu em silêncio à medida que o meu emprego tornava-se cada vez mais enfadonho e o novo parecia cada vez mais distante.

Hoje, cinco meses depois, me dei conta que à medida que orei, a minha oração foi sendo transformada e inclinada para a vontade de Deus. Foi orando que eu descobri a resposta ao meu pedido. Na verdade, eu descobri em oração que eu preciso ser um pouco menos egoísta, um pouco mais sábio com o dinheiro, um pouco mais paciente diante das dificuldades, um pouco mais fiel aos meus chefes. Depois de meses de espera e frustração, quando resolvo orar novamente por um emprego, acabo me vendo dizer: "Deus, eu não preciso de um emprego novo, eu preciso de uma transformação no meu coração e no meu modo de agir".

A VERDADEIRA CONQUISTA DAS COISAS ESPIRITUAIS
Não aguarde mágicas, não ache que a oração é o "truque espiritual" pra que seus desejos sejam realizados, a "receitinha" pra resolver qualquer problema da sua vida. Tenha a sinceridade, disposição e intimidade pra dizer a Deus em oração TUDO o que está no seu íntimo, todas as suas vontades e desejos. Porém ESTEJA PRONTO também pra muitas vezes receber uma resposta nem tão agradável, esteja pronto pra sintonizar paulatinamente a sua vontade com a vontade de Deus.

Você deseja viver essa nova realidade de oração? Talvez você fará as orações mais loucas da sua vida a partir de agora! "Deus, eu orei por uma cura física, mas eu descobri que a Tua graça me basta", "Deus, eu não preciso de um carro, eu preciso é ser menos egoísta", "Deus, eu não preciso de uma namorada, eu preciso é curar esse mal-caráter que afasta todas as mulheres de mim", "Deus, eu não preciso de muito, eu preciso é aprender a ser feliz com pouco", "Deus, eu não preciso de um livramento de morte, eu preciso de serenidade pra derramar até a última gota de sangue", "Deus, eu não preciso de uma refeição, eu preciso aprender a amar aqueles a quem o Senhor santificou".

Hoje, sábado de aleluia, é o "Dia Universal do Silêncio de Deus", e eu encorajo você a ver até mesmo nesse silêncio um tratamento, uma resposta pra forjar paciência, perseverança, um caráter que vai muito além da resolução de problemas imediatos.

Eu não me importo também de ser taxado de "sem autoridade espiritual" ou "fraco na oração" por causa dessa postura. Escolha você o caminho de oração e intimidade com Deus que você quer trilhar. Eu já escolhi o meu: a minha vontade sendo moldada à vontade soberana de Deus.

Em Cristo,
Régener 22/03/2008 - 23:03

por
Ricardo Régener

Um comentário:

Porque Ele Vive disse...

Agora pude entender o porquê de muitas coisas estarem ocorrendo em minha vida... glória a Deus!!!

Que o Senhor continue o abençoando, meu amigo!!

saudade...