30 de jun de 2008

Um texto para refletir...

Oi amados, a paz esteja com todos, hoje eu iria escrever a respeito de uma palavra que está em meu coração a cerca da adoração (a verdadeira adoração), mas navegando na net encontrei um artigo muito interesante no "Geração DT" que falou muito ao meu coração e tenho certeza que irá tocar muitas vidas, pois relata como muitos de nós nos sentimos em certas ocasiões.


“Era tudo Mentira!”: Uma palavra aos cristãos que estão morrendo espiritualmente
Por Ricardo Régener

O texto que você lerá hoje foi escrito no início do mês de Março de 2008, logo após um período de uma semana marcado por muitos questionamentos e uma crise que apesar de breve, quase me levou à uma derrocada da minha própria vida Cristã. Hoje, 4 meses depois, eu compartilho essa mensagem que foi escrita com um pesar muito grande no meu peito. Olhando pra esses meses que já se passaram desde esses dias difíceis, eu consigo hoje agradecer a Deus por ter sido conservado com fé

TEXTO BÁSICO
“Ao anjo da igreja em Sardes escreve: Isto diz aquele que tem os sete espíritos de Deus, e as estrelas: Conheço as tuas obras; tens nome de que vives, e estás morto. Sê vigilante, e confirma o restante, que estava para morrer; porque não tenho achado as tuas obras perfeitas diante do meu Deus. Lembra-te, portanto, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. Pois se não vigiares, virei como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei. Mas também tens em Sardes algumas pessoas que não contaminaram as suas vestes e comigo andarão vestidas de branco, porquanto são dignas.” (Apocalipse 3:1-4)

Contrariando a expectativa de quase toda a Comunidade Cristã da época, foi essa a mensagem que Jesus mandou a Sardes: você tem nome e aparência de vida, mas na verdade você está morta. A exortação demonstra mais uma vez que os homens vêem a aparência, mas Jesus vê a profundeza daquilo que está no coração.

Naquele tempo, Sardes era vista pelos cristãos de todo o mundo como “Igreja-exemplo, Igreja-viva”, as pessoas provavelmente olhavam a aparência, olhavam os cultos, olhavam os missionários enviados de Sardes, olhavam para as notícias de grandes feitos da igreja, e diziam “essa igreja é uma benção, essa igreja é um referencial, essa igreja é viva!”

Jesus, no entanto, antes de toda a sua exortação diz “conheço as tuas obras”, e quando na Bíblia o Senhor fala de obras, Ele não está falando de atos aparentes, mas Ele está falando sobre disposição de coração, sobre atitudes tomadas no lugar secreto, “obras” diz respeito ao caráter. Quando Jesus diz “conheço as tuas obras” Ele diz “eu conheço o seu caráter, eu conheço o que você faz quando ninguém está vendo”, e por detrás daquele invólucro enfeitado, Sardes agonizava como um doente que sofreu uma parada cardíaca: desfalecendo, perdendo aos poucos os outros sinais vitais, imobilizada, a um passo de morrer completamente. Sardes era um sepulcro caiado, talvez não pudesse ainda ser rotulada como tal porque, mesmo quase morta, havia algo em Sardes que ainda estava vivo, algo pequeno de sua fé cristã que, apesar de vivo agonizava. Se uma mudança imediata não fosse tomada dentro da igreja, algo como uma “massagem cardíaca”, Sardes estaria irremediavelmente morta.

PRATICAMENTE MORTOS

Essa carta do Apocalipse não é apenas para a Igreja de Sardes. Na verdade ela foi escrita para todos os cristãos que em algum momento de sua caminhada percebem que estão por “um tris” de morrer espiritualmente. Foi escrita para cristãos que estão agonizando, para cristãos que só precisam de um “golpe de misericórdia” para morrerem, definitivamente.

Quem sabe você, como Sardes, ainda tem aparência de vida: as pessoas olham pra você exercendo seu ministério, olham para o que você fala, escreve, e elas dizem “Você é um referencial para a nossa geração”, “Você é comprometido com Deus”, “eu queria ter 10% da intimidade com Deus que você tem”, “Você têm sido um instrumento pra sustentar minha vida cristã”. As outras pessoas olham pra você e se deslumbram com a aparência, mas só você e Deus sabem que na verdade você está agonizando espiritualmente, só você e Deus sabem que, na verdade, é quase tudo uma grande mentira. Você é conhecido como “irmão de oração”, mas na verdade você não consegue perseverar dez minutos, você na verdade nem cogitou em jejuar nos últimos seis meses. Tanta gente já “se inspirou em você para ser fiel a Deus em tudo”, mas na verdade você não se preocupa nem em dar o dízimo corretamente. Você vai na igreja, levanta as mãos, faz “cara de adoração”, só você e Deus sabem o quanto aquilo é vazio e parece não fazer mais sentido algum. As pessoas te pedem oração, só você mesmo e Deus sabem o quanto você mente a esse respeito, o quanto você não jejua e nem ora pelos outros. Você vê toda a sua caminhada cristã a um passo de ir para a lata do lixo. Não consegue visualizar um caminho de volta e até mesmo cogita em desistir dessa história de “seguir Jesus”, pensa em ir fazer alguma coisa mais fácil na vida.

Eu acredito que poucos dos que me lêem estão numa situação parecida, mas existem no nosso meio cristãos de aparência, cristãos que na verdade estão praticamente mortos. Na verdade, eu estou escrevendo isso porque depois de relutar algum tempo, depois de “manter as boas aparências” diante dos outros, eu não vi outra alternativa a não ser reconhecer que, depois de um processo infrutífero de quatro meses, eu estou na pior situação em que poderia estar. Como Sardes: com nome de vivo, mas morto, destruído interiormente, no caminho mais “sem volta” que já me envolvi até hoje. Assim como no caso de Sardes, eu descobri que se eu não tomar uma atitude drástica talvez a minha fé desfaleça completamente

SÊ VIGILANTE, CONFIRMA O QUE ESTAVA PRA MORRER

Da semana passada pra cá, eu comecei a travar uma luta para “confirmar o que estava pra morrer”. É interessante notar que na palavra de Deus à Igreja de Sardes, nenhuma restauração miraculosa é prometida, nenhuma mudança repentina no curso dos acontecimentos, nenhuma ressurreição, nenhuma “restituição do que já morreu”, nada, apenas um chamado à responsabilidade: “Sejam vigilantes, e confirmem o que estava pra morrer, porque Eu sei a falsidade da motivação de vossos corações”.

Quando percebemos que estamos quase mortos, não devemos esperar nem pedir para que aquilo que fomos um dia volte a ser realidade, mas precisamos voltar-nos à essência da nossa confissão em Cristo, aquele pedaço da nossa vida cristã que, apesar de estar perigosamente ameaçado, ainda vive!

Apesar de toda a tristeza, apesar da minha vida de oração já ter ido pro lixo, apesar do entendimento da palavra não ser o mesmo de antes, apesar das mensagens escritas não terem mais aquela exuberância, apesar de eu me ver nos mesmos pecados que eu praticava antes de receber a Jesus, apesar de até mesmo o amor parecer já ter esfriado; ainda assim eu continuo crendo que Jesus veio ao mundo, viveu como um de nós, padeceu pela minha iniqüidade e ressuscitou ao terceiro dia! Eu ainda creio que segui-lo é o melhor caminho, e apesar de tudo parecer estar mutilado na minha vida, eu vou me apegar a essa pouca fé que ainda não foi engolida pela minha maldade, pela minha falta de compromisso com o “negar a si mesmo” do evangelho.

Hoje, de posse da exortação de Jesus à Igreja de Sardes, eu não tenho nenhuma palavra de ânimo ou restauração para você, nem promessas de que a sua vida cristã “voltará a ser a abundância que já foi outrora”. Algo, porém, tenho a dizer: você não está completamente morto! Algo ainda não morreu dentro de você! Você consegue identificar algum traço da sua confissão em Cristo que, mesmo agonizando, ainda não esvaiu-se de todo?

Esse é O TEMPO, irmão, o tempo exato de você salvar aquilo que ainda não se foi. Não é o tempo de pedir que Deus faça grandes coisas em seu favor, Ele já fez grandes coisas! Mas é o tempo de vigiar todas as motivações do coração e segurar firme naquilo que, pela misericórdia de Deus, ainda não morreu. Não espere mais milagres de restauração espiritual meu irmão. CHEGA DE MILAGRES! Deus não os fará para te ressuscitar espiritualmente. Chegou o tempo de você parar com birras de “adolescência espiritual” e crescer. Apartir de agora você tem duas opções: ou você vira um adulto e aprende de vez a ter uma vida cristã séria, ou você dá o último passo rumo à sua morte definitiva. Nenhum sinal mais será realizado pra que você se converta de verdade, VOCÊ terá que aprender a vigiar e a se arrepender dos seus erros.

“O que vencer será vestido de vestes brancas. De maneira nenhuma riscarei o seu nome do Livro da Vida, mas confessarei o seu nome diante do meu Pai e diante dos seus anjos. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às Igrejas”. (Apocalipse 3:5)

= = = = = = = = = = = = = = = = =
extraído do site
http://www.geracaodt.com/

2 comentários:

Cissa disse...

Querido irmão em Cristo.

Você escreveu exatamente aquilo no qual estou vivendo, sentindo e passando.

Um vez lí um texto sobre: "Ele não esmagará a cana quebrada". Falou muito comigo e me deu esperança.
E hj lí o seu testemunho.
O caminho é arduo mas daí nasce o amadureciemnto pais nesse exato momento escolhemos o caminho da vida, o caminho do Senhor.

Que Deus nos abençõe!

Retorno a Santidade disse...

Vixe, maravilhoso seu blog, que a sua vida seja luz na escuridão e sal onde nao tem o calor de DEUS, que Ele ti guie pelos passos do caminho da verdade e da vida... vamos ganhar o mundo PRA JESUS