29 de mai de 2009

me fez pensar...

Existem certas palavras que nos fazem pensar.
Palavras estas, que antes passavam despercebidas, porém tomam uma proporção diferente quando analisamos com mais cuidado e certos critérios.

Visitando o blog de um amigo, o Diego, encontrei a palavra “religioso”, que ele usou como um adjetivo para mim (já quero de antemão agradecer pelo comentário, e fico feliz por ele. Obrigado). Não que eu não tenho gostado, ou ele tenha usado de forma pejorativa; absolutamente não. Porém o efeito que ela causou ao me confrontar foi muito forte.

No dicionário, a palavra religioso quer dizer próprio da religião, que a tem ou a cumpre com rigor. Em termos mais claros, ou mais popularmente falando, religiosos é aquele cara chato, que acha que a sua religião é a única certa, e que todos os outros estão errados. Essa é a visão que muitos possuem de certos “crentes” que conhecem, e eu confesso: já fui assim.

Há sete anos tomei a decisão de aceitar a Cristo como único e suficiente Salvador de minha vida. Não me arrependo em nem um segundo de ter tomado essa atitude. Com o passar do tempo, porém, fui aprendendo um pouco da Palavra, estudando e pesquisando, e isso me fez acreditar que eu era o dono da verdade. Eu era um “crente” exemplar, dedicado na igreja e o perfeito em tudo que fazia; a minha igreja era a perfeita. Poderia morrer por ela, e com certeza a defenderia com todas as minhas forças. Eu era um religioso.

Mas um dia a máscara caiu. Os meus pecados, que eu sempre os escondia com a maior cara-de-pau do mundo, falaram mais alto. O orgulho e a arrogância caíram quando eu vi quem eu realmente eu era. Eu era (e sou) pobre, cego e nu. O mais desprezível homem. Não é exagero, é a verdade. Isso não aconteceu da noite para o dia; antes houvesse sido assim: a dor passaria mais rápido. Isso foi, ou melhor, é um processo que tenho vivido dia após dia. A duras penas. Isso é o que chamamos de amadurecimento da fé. Isso é o “tornar-se um cristão verdadeiro”.

A fé está estritamente ligada à razão. A santidade, ao caráter. Hoje tenho a plena consciência que o segredo para que as pessoas vivam melhor é o respeito pela a diversidade de ideias. Podemos ter opiniões diferentes e pontos de vista diferente, e nada disso impedirá que possamos caminhar juntos. Tenho minhas opiniões formadas sobre certos assuntos e temas, defendo-os ao máximo, mas aceito que outros discordem e apresentem suas razões. Não sou o dono da verdade, não possuo todas as respostas, mas sei onde posso encontrar a solução para meus conflitos e dilemas.

Eu sei em quem tenho crido. Nada pode mudar o que Ele próprio firmou em mim. Hoje mato e morro se for preciso, mas pelo meu Jesus, que antes de tudo morreu por mim, deu sua vida por mim, para que eu pudesse viver livre. A minha carta de Alphorria foi assinada por Ele, e a Ele eu devo minha vida.

Valeu Diego, pois mesmo estando (sempre) Ligeiramente Blasé, me fez pensar de forma lúcida. Brigadão mesmo!

8 comentários:

Canteiro Pessoal disse...

Poxa, impactada por seu rasgar literário de alma e transparência.
Nem vou me alongar por aqui, pois calo-me em reflexão.

Abraços e paz !

Priscila Cáliga

Porque Ele Vive disse...

Noooosssa!! Isso também me fez pensar na vida que tenho levado... às vezes nos tornamos somente isso: religiosos.

Mas eh bom quando lembramo-nos de que somos pó.

Que Deus continue o abençoando, amigo!!

EXAGERADO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
EXAGERADO disse...

Fala,amigo

Fui ler o Blog do Diego..gente boa também,assim como vc..
Percebo que vc é firme nas suas convecções a respeito de sua fé..se isso é ser religioso,não faz diferença.O importante é o respeito,justiça e coerência que o faz ser uma pessoa do bem!Parabéns!
abraço

Cαmilα ♥ disse...

As vezes é bom saber como os outros nos veem.
No teu caso, o que o Diego disse fez com que voce refletisse e lhe fez bem, digo isso pelo post.

Muito real o que tu disse, me identifiquei em algumas partes.

Mesmo sendo, pobres, cegos e nus... Deus nos ama demais... e isso é incrivelmente gostoso!

BeijOs meu bem!

Pri C. Figueira disse...

Meu amigo!
Sua reflexão deveria ser feita por todos nós... Quantas vezes agimos "religiosamente", esquecemos da essência, da real motivação de servir a esse Deus que é tão presente e tão vivo!
Sabe, adorei suas palavras, amei sua reflexão pois através dela pude eu refletir também na forma como tenho agido em relação a Deus!

Feliz foi o seu amigo Diego em fazer essa colocação, pois te fez refletir assim como a muitos que entraram aqui e olharam para si através do teu texto!!!

Adorei, lindo e verdadeiro!
E tenho certeza, se tem algo que vc não é, é isso... religioso!

Bjus.

Diego! disse...

Entendo o que vc quis dizer. Mas, a palavra esta dentro de uma frase.
Bonita reflexão, e só me faz ter certeza da minha FRASE, na qual a PALAVRA é mera armadilha.
Não se serei entendido...Nunca sou mesmo!hauhauhau!

Diego! disse...

não sei se*