6 de abr de 2009

Há muito tempo atrás...

Poxa, o tempo literalmente voa. Passaram-se duas semanas desde a última vez que postei aqui. Antes que eu esqueça, gostaria de agradecer a Nathália pelo último comentário que ela deixou para mim: bom, aqui estou, hehehe.

Sentar na frente de um computador e escrever não é uma missão fácil. Muitas vezes falta-nos uma motivação que nos impulsione e coloque nessa tela algo que realmente interesse. Não gosto de escrever por escrever. Considero meus melhores textos aqueles que escrevi inspirado, motivado por algo.
E essa semana é uma semana ótima para isso.

Muitos comemoram essa semana com festas, presentes e muito chocolate. Adoram o feriadão. Os mais religiosos dedicam-se às suas igrejas, sejam elas de quais denominação for. Os incrédulos, encaram como mais um feriado.

Mas o real significado não é esse.
A sexta-feira da paixão, mostra-nos o Amor de Deus em seu mais crítico estado.
O auge desse Amor. Amor tamanho, que foi capaz de entregar-se em nosso favor.
De morrer.
De esvaziar-se.
De renunciar-se.
De amar. Sem limites.

A cruz não é uma algo fácil de encarar. Até pregamos, falamos, e cantamos sobre ela. Podemos até chorar comovidos se analisarmos minuciosamente seu propósito. Mas a pergunta crucial é: temos vivido a Cruz? Temos carregado a nossa no dia-a-dia? Temos pago o preço que o próprio Jesus ordenou que pagássemos?

Diante da cruz não temos do que se alegrar. Jesus sofreu nela. Nela, Ele sentiu-se só e desamparado. Que foi a máxima expressou de Seu Perfeito Amor não temos do que duvidar, mas aos pés da cruz só podemos chorar, ao ver o Criador do Universo assumindo uma culpa nossa.
Então viva a cruz.
Negue-se e carregue a sua!
O choro irá cessar, mas não hoje, não agora.
O domingo chegará, e veremos a pedra removida.
Mas ainda não é o tempo...
__________________________________________
Cale-se.
Sinta o vento frio soprar.
Não entenda.
Apenas chore.
Reconheça o seu erro e assuma sua culpa.
Toque-a e receba do poder da salvação.
Mas continue chorando.
Você é indigno o bastante para receber.
Ele te ama o bastante para dar-te.

8 comentários:

Pri C. Figueira disse...

Como sempre os textos tão belos e tão intensos, expressando o amor do Pai que exala através de cada palavra escrita!

Cruz a maior expressão de amor do Pai, certa vez li uma frase que acredito dizer tudo... "Ele preferiu ir ao inferno POR você do que ir para o céu SEM você"

Cruz é sofrimento? Sim, mas expressão maxima de amor!!

Nessas horas meu coração se enche de gratidão, era o meu lugar e Ele me substituiu...

LINDO TEXTO

Bjs.

Porque Ele Vive disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Porque Ele Vive disse...

Querido amigo, você como sempre arrebentando nos textos!!! Usado pelo Senhor como ninguém!!!

Axo que não te falei, mas seu blog está muito lindo e a cada dia mais interessante.

Que Deus continue te abençoando infinitamente!!!!!!!!

ah, passa lah no blog, jah q você eh o único seguidor mesmo... hihihi

saudades, amigo!!

Lilian Pavan disse...

Muitas vezes não estamos motivados a escrever nada.

A inspiração é sentimento que, se for bem traduzida, com palavras podem levar a mensagem que de fato deseja transmitir.

Amei o texto!

:-)

Canteiro Pessoal disse...

Oie Alphorria, entrasse numa questão muito interessante, digamos que valiosa pra mim hoje em dia, pois eu que em outrora não era adepta ao cristianismo pelo fato dessas três perguntas que lançastes.
-Temos vivido a Cruz?
-Temos carregado a nossa no dia-a-dia?
-Temos pago o preço que o próprio Jesus ordenou que pagássemos?
Sabes, a igreja ou âmbito cristão não me atraia pelo fato de que não via pelo incrível que pareça, diferença da igreja para o mundo.
Acreditar na cruz era algo em outrora que não colava comigo, pois era racional, calculista e fria. De fatos e evidências. Perguntas e respostas.
E como uma pessoa que não acreditava passa acreditar de uma hora para a outra?
Bem... não há resposta para tal?
Pois, acreditar não bailava no meu palco. A resposta que tenho é...
Só sei que era cega e vejo.
Só sei que não acreditava, nenhuma faísca habitava em mim e hoje acredito. E por quê?
A GRAÇA me ABRAÇOU no meu quarto, ouvi a trindade me chamando e pensei que estava maluca e, iria procurar no outro dia um psicólogo. Este que me amou mesmo o odiando com todas as minhas forças. Que não se preocupou com minha opção sexual que era o mesmo sexo. Que disse: - Não estou preocupada contigo no momento com isso, portanto me adore e adore tão somente, pois te conquistarei todos os dias.
Eu petulante e arrogante disse: - É lindo o que dissestes, mas o pecado tornou-se minha amiga e amanhã me divorciarei de ti.
E tão somente disse: - Meu amor vale por dois e já disse, te conquistarei todos os dias !

O Getsemani é uma das cenas que constrange meu coração e opera marejo em meus olhos. Vou partilhar contigo um escrito que postei tempos atrás.

Canteiro Pessoal disse...

Getsemani...

O luar da primavera lançava uma luminosidade prateada sobre o jardim.
Era lua pascoal, clara e cheia, brilhante num céu sem nuvens.
As estrelas cintilavam no veludo negro da escuridão do céu.
Sombras cobriam o jardim.
Silêncio no céu e nenhuma harpa soava.
Os ramos rodosos e retorcidos das oliveiras se entrelaçavam, subindo em direção ao céu.
As raízes se estendiam do tronco e agarravam-se no solo rochoso.
As folhas balançavam ao sabor da brisa.
A estrada era íngreme o caminho que conduzia ao jardim do Getsêmani.
Lugar de momentos para meditar e orar.
[...]

Ele o vale atravessou e aproximou-se estranhamente mudo. Mudança nunca dantes visto, semblante triste.
No jardim. Seu corpo cambaleava como se estivesse a cair.
No chão. Um homem ainda jovem. Ajoelhado e suplicando.
O abismo era tão largo, tão negro, tão profundo, que seu espírito estremeceu.
Cabelo grudado na testa molhada. Roupas empapadas de suor. Sua agonia, apegava-se ao solo frio, como a impedir de ser levado para longe do Pai. O Senhor do universo não queria ficar sozinho.

Canteiro Pessoal disse...

O enregelante orvalho da noite cai-lhe sobre o corpo curvado, suando sangue e de seus pálidos lábios irrompe a amargo brado; "A minha alma está profundamente triste até à morte... Aba, Pai, todas as coisas te são possíveis [se é de teu agrado]; afasta de mim este cálice [o cálice amargo da paixão a beber]; não seja, porém, o que eu quero, mas o que tu queres [mas sim a tua]". Marcos 14: 32 à 36
Na balança oscilava a sorte da humanidade. Ele ainda podia, recusar beber o cálice reservado ao homem culpado. Mas, escolheu seu batismo de sangue, pois era a vontade do Pai beber o cálice amargo plenamente resignado, para que, por meio dEle, todas as coisas fossem feitas novas, em que milhões de almas perecendo, obtessem a vida eterna. Foi o "SIM" mais doloroso e sofrido de sua paixão.
Havendo tomado a decisão, caiu moribundo no solo do qual se erguera parcialmente.

"Aqui sofri mais que em todo o resto da minha paixão, vendo-me abandonado pelo céu e pela terra, carregado de todos os pecados da humanidade..."....

A cena no Getsêmani é revelativa e profunda. Misteriosa, que caça o desvendar de segredos, o entrar na cabine telefônica para dialogar numa conversa íntima com o Pai.
Esta que é o prenúncio do abrir a porta da eternidade. Batalha já vencida no jardim, pois, ali tomou a decisão; preferiu atravessar o inferno por nós a ir pro céu sem nós.
Jardim em que atores aproximariam a qualquer minuto do palco. Só que não há peça a ser encenada; trata-se de um plano divino. Um plano que começou antes de Adão receber o sopro divino, e onde o céu inteiro aguardava e observava, pois, a jornada até a cruz começou muito antes. Enquanto o ruído da mordida da fruta ainda ecoava no paraíso, Jesus partia para o calvário.
Cada passo, calculado. Cada ato, premeditado. Porque o Pai veio, veio ao nosso mundo, a fim de nos levar para casa.

Abraços.

Priscila Cáliga

Alessandro disse...

Olá!

Estou aproveitando este espaço para divulgar o blog "Salvos Pelo Amor!"

Não deixem de conferir!

http://salvospeloamor.blogspot.com/