16 de jun de 2009

Só precisamos saber disso!

“Pode alguma coisa fazer-me parar de amar você?” Pergunta Deus. “Observe-me falar sua língua, dormir em sua terra, e sentir suas dores. Olhe para o Criador da visão e do som, enquanto ele espirra, tosse e funga. Você pergunta se eu entendo como se sente? Olhe para dentro dos olhos dançantes do menino de Nazaré; é Deus indo para a escola. Pense no pequenino à mesa de Maria; é Deus derramando o leite.

“Você pergunta até quando durará o meu amor? Encontre sua resposta numa cruz alcantilada, sobre um monte escarpado. Esse que você vê lá em cima é o seu Criador, o seu Deus, furado com pregos, e sangrando. Coberto de cuspe, e encharcado de pecado. É o seu pecado que estou sentido. É a sua morte que estou morrendo. É a sua ressurreição que estou vivendo. É como eu amo você.”

“Pode alguma coisa interpor-se entre você e eu?” Indaga o Primogênito.
Ouça a resposta, e firme o seu futuro sobre as triunfantes palavras de Paulo: “ Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos ou demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 8.38,39).

Nas Garras da Graça - Max Lucado

2 comentários:

Ná Lima disse...

Impossível indagar o amor de Deus conosco. Ele que deu um único filho para me livrar do pecado e ser livre, impossível não amar esse Deus. Gostei muito do seu blog, vou voltar mais vezes.

Thiago Ya'agob disse...

Bom dia e início de semana, Jefferson!

Obrigado pelo comentário lá no Debaixo das Asas. És bem-vindo, sempre, por lá.

Max Lucado é meu escritor 'gospel' predileto, o único que leio na verdade. Porém, esse livro, Nas Garras da Graça, ainda não li. Já engatei a leitura por três vezes e não consegui dirigí-la. - risos.
(Uma hora eu consigo).
Já li cerca de uns 15 livros do Max e todas as vezes que releio, SIMPLESMENTE COMO JESUS (meu predileto) perco-me, encontro-me, em sua escrita. É muito bom.

E fico contente em saber que curtes, também.

Shalom.